domingo, 19 de março de 2017

car(m)inho

é muita mágoa antiga que tá enterrada debaixo desse prédio alto
qu'eu não sei como tanta flor e tanto amor vieram pra esse lado
não que não seja terrível estar sob o pulso intenso mas agora é mais leve

é um tempo diferente que permeia a minha história nesse ano
muito diferente
porém que elevou nossa felicidade e nossa alegria
"a nossa"
desculpa, é a minha mesmo.

que seja terno e duradouro, já é!
parece coisa de sempre mas é antiga e recente (?)
nem me confundo tanto mais, só parece
parece que eu amo tanto e nem sabia que podia amar assim
será que eu posso enlouquecer de amor?
tem uma linha que limita? tem uma trava de segurança pra amar?


eu não tô entendendo como amor maduro só cresce e me derrete inteira
maldita hora em que tu resolveu sentar nas escadas do prédio, maldita hora em que eu estava sóbria o suficiente pra estar completamente puta e ter a coragem a coragem e a fragilidade de chorar em tua frente
e não devia ser assim
eu não sou assim
e nem tava chovendo mas foi tão triste

chorei 6 quadras
foda-se
tu quase me atropelou e nem viu
e o pior das minhas confusões é que nesse dia tu nem existia neste continente

aqui tu volta e diz que só quer uma desculpa pra despir-se
"ele a acompanhou lá pra trás do prédio, ela tinha que fazer xixi, todavia eu sangrava e estava lá. Ele ficou esperando, olhou pro céu, mexeu no celular caro para ver as horas, e me olhou, e a moça foi fazer xixi no cantinho das moças que fazem xixi atrás de prédios nas festas da faculdade